Fale Conosco

Marketing data-driven e a maturidade digital da sua empresa

   13 Novembro, 2018 / por Caio Cunha

|
|
MARKETING DATA DRIVEN E A MATURIDADE DIGITAL DA SUA EMPRESA

 Conheça o conceito de Marketing data-driven (ou marketing direcionado a dados) e veja como ele é fundamental para melhorar os resultados com o Marketing Digital da sua empresa.

 WSI - 13-11-1


A Indústria 4.0 é um tema que tem sido bastante discutido. Com ela, se torna ainda mais evidente a cultura do data-driven. Ou seja, a coleta, organização e análise dos dados para tomar decisões ágeis e certeiras.

Leia também: Indústria 4.0 e a transformação no mercado de trabalho

Pois saiba que essa não é uma atividade que deve ser implementada apenas no chão de fábrica, por exemplo. Pelo contrário, empresas de todos os portes e tamanhos, e tanto as de produtos quanto as de serviços, só tendem a se beneficiar do marketing data-driven.

E, quando falamos do Marketing Digital, orientar as estratégias com base em dados faz toda a diferença. E saiba que eles estão disponíveis e todos temos acesso, se tivermos preparados para aproveitar desses dados. Afinal, é essa atitude que permitirá ampliar os objetivos e realizar investimentos adequados com melhores retornos. Conquistando a tão sonhada maturidade na área.

 

O Marketing data-driven

O Marketing data-driven, ou orientado por dados, usa as informações disponíveis e coletadas ao longo das interações com os clientes para entregar experiências incríveis aos usuários.

Com ele, as decisões de Marketing são tomadas com base em informações. Sejam elas geradas pela própria empresa ou pelo mercado.

Assim, são obtidos insights valiosos que eliminam as tão prejudiciais ações baseadas na intuição.

 

A importância de ser data-driven

Recentemente, publiquei o texto Qual deve ser o budget de Marketing Digital para 2019 e no tópico “Investimentos em análises de marketing”, mostrei que, segundo relatório da SMO Survey, hoje 6.7% dos investimentos totais em marketing são destinados à análise de dados e que nos próximos três anos, esse número superará 21% do investimento total em marketing.

O mercado brasileiro, infelizmente, ainda tem muito a caminhar em direção ao Marketing amparado em dados.

Para você ter uma ideia, uma pesquisa realizada pelo Google em parceria com o Boston Consulting Group (BCG), revelou que apenas 25% das empresas brasileiras direcionam investimentos para o Marketing Digital. Ao mesmo tempo, o número no Reino Unido é de 61% e nos Estados Unidos é de 44%.

Isso acontece principalmente porque as empresas não se sentem confiantes em investir nesses canais. Sendo que os negócios que baseiam suas estratégias e ações no resultado individual de cada cliente, ou seja, no marketing data-driven poderiam aumentar em 20% as suas receitas. Ao passo que também poderiam reduzir os custos em 30%.

No RD Summit 2018, na reunião com os Parceiros, assisti a uma palestra do Daniel Leite, Sales Executive da Google Cloud, na qual ele falou sobre a importância de direcionar as empresas a dados. A missão do Google é justamente organizar a informação do mundo e torná-la mundialmente disponível e útil para o público. Hoje, a empresa possui 7 produtos com mais de 1 bilhão de usuários.

Segundo ele, hoje, 25% da internet do mundo passa pela infraestrutura do Google. O Google Cloud foi criado para ajudar as empresas a organizarem os seus dados em um único lugar por meio de infraestrutura e machine learning. Leite deu o exemplo da Zulily uma rede de lojas americana que aumentou sua receita em 27% com o sistema de análise de dados criado pelo Google Cloud. Essa solução deu visibilidade, à gestão da empresa, no nível de cada item e personalizou a experiência de compras dos seus 5.2 milhões de clientes.

 Imgem 01

 

 

Além disso, uma outra pesquisa do Google, em parceria com a Greenberg, em 2017, mostrou que 63% dos consumidores esperam que as marcas usem o histórico de compras para proporcionar experiências personalizadas. Mas para fazer isso funcionar, como no exemplo da Zulily, é necessário eliminar tantos silos de dados que hoje existem dentro das empresas.

E isso se consegue quando gerenciamos uma jornada de dados eficiente. Essa jornada inclui as seguintes etapas: Coleta, Transformação, Análise, Visualização e Ativação. A figura abaixo explicita quais são as quatro verticais que também precisam ser acionadas para ter sucesso na gestão de dados dentro de uma empresa: 

IMG 02-1

 

Leia também: Aplicações de Inteligência Artificial para empresas

 

Dados e a personalização da comunicação

Uma estratégia de Marketing Digital baseada em dados permite criar comunicações personalizadas. Além disso, as ações podem ser melhor monitoradas e avaliadas, ajudando a aprimorar ainda mais o conhecimento dos hábitos e desejos dos clientes.

Em uma era cada vez mais conectada, informação vale muito. Afinal, é esse tipo de conhecimento que colabora para desenvolver campanhas altamente eficazes. Melhorando a experiência do cliente com a marca e otimizando os investimentos.

Por fim, vale ressaltar que a disputa por atenção na rotina do consumidor é cada vez maior. Por isso, tentar bombardeá-lo com informações genéricas em momentos inapropriados só fará com que você desperdice tempo e recursos, sem dizer que vai afastar seu público-alvo.

Muito mais do que um modismo, o data-driven vai se tornar cada vez mais uma questão de competitividade de mercado.

 

Como coletar esses dados?

É importante dizer que o Marketing data-driven é muito diferente de armazenar dados sem critérios ou organização.

Para ser eficaz, é preciso voltar os olhares para as informações certas. Além de transformá-las em uma inteligência que realmente faça sentido para o negócio.

Para quem está começando, uma boa dica é analisar os dados dos próprios clientes e prospects armazenados no CRM. Depois, vale a pena incrementá-los com informações das mídias sociais e do Google Analytics.

Leia também: 4 boas práticas para o seu CRM

Dados de engajamento em campanhas e materiais, como aqueles oferecidos por plataformas de automação de marketing, como o Hubspot, também ajudam a entender melhor quem é e o que deseja o cliente.

Com isso, é possível avaliar quais os conteúdos de interesse das suas buyers personas, bem como os seus hábitos de leitura.

O resultado são campanhas altamente personalizadas e com grande poder de conversão. Afinal, é esse tipo de análise e de entendimento que permitirá investir as verbas adequadamente e, assim, dar os próximos passos em direção à maturidade no Marketing Digital!

 

CTA tendencias de mkt digital-1

 

 Sobre o autor: 

 

  linkedin.pngfacebook-1.pngtwitter.png email: caio@wsiconsultoria.com

Tópicos: Marketing, Marketing Digital

Excel ROI

Posts Recentes

Newsletter